21.9.11

 

 

Minha querida amiga,

 

Cada vez gosto menos de gente, cada vez confio menos nas pessoas e a cada dia que passa, sinto que talvez esteja mais confortável no meio de uma alcateia de lobos raivosos, do que entre os humanos. E porquê? Porque as pessoas são falsas, dissimuladas e sempre de punhal levantado à espera da oportunidade de esfaquear as costas de uma vítima inocente! Domingo fui à missa como te tinha dito, fiquei no fundo da igreja, mesmo atrás dos últimos bancos. Observei! Vi! Constatei que as beatas estavam todas atentas à vestimenta das mulheres jovens e bonitas, comentando o penteado, a pintura, o decote, tudo! Sempre que alguém se sobressai, a inveja invade quem também quer e não pode! As pobres jovens foram devassadas ali, no meio da Igreja, só porque são bonitas e arranjadas! É o cúmulo! Os sussurros diziam que uma andavam metida com o mecânico, a outra tinha dois amantes desde que o marido emigrara.... Que línguas podres! Eu que saiba que anda o meu nome na boca delas, mulher! Eu que saiba, que até as desanco a todas!

Meteu-me cá um fastio! O Padre Domingues, coitado, palrava que nem um papagaio desconcertado com a falta de atenção das paroquiantes. Tentou o impossível para chamar à razão o seu olhar e os seus ouvidos...

Ao sair, uma das ratazanas de sacristia chamou-me. -Psst psst... -"Oh Dona G. espere! Queria dar-lhe uma palavrinha!" -Oh caraças, fiquei possuída. Sabes que eu não sou dada a conversa da treta, principalmente daquela treta que serve só pra encher balões, então virei-me e perguntei: -"Quem eu? É comigo?" -"Sim, sim, desculpe, mas é sobre a quermesse de Domingo. É que estamos a contar com todas as paroquiantes. A senhora também vai para deitar uma mãozinha, não vai? Olhe que estamos a contar consigo. Traga alguma coisa para o leilão, sim? A Igreja está a precisar de obras e todos temos o dever de ajudar, não é?" -Bem, olha Harrieta, eu cheguei a pensar que me tinha enganado no local de culto e tinha ido parar às Testemunhas de Jeová, porque a mulher não me largava! Irra!! -Olha disse-lhe: -"Só se levar a língua de algumas pessoas para leiloar porque não tenho nada que possoa doar, vivo com o mínimo e o  essencial e a reforma não me chega pra mais nada minha senhora!"... -Tiro e queda! A mulher desandou enraivecida que nem um touro! Aquela não me chateia mais, garanto-te! Beata do Pau Oco! Esta gente deprime-me, acredita!

Ninguém dá nada a ninguém e todos querem alguma coisa!

 

 

Bem, despeço-me por hoje, que hoje não estou nada inspirada,

 

Um beijinho,

 

G.

 

 

link do postPor A Velha Amarga, às 13:16  comentar


 
mais sobre mim
Outubro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


arquivos
2011

blogs SAPO